Artigo - TREINAMENTO DE PAIS
Criar os filhos nunca foi tarefa fácil para os pais. Diante da correria do dia-a-dia e das muitas tarefas que precisam ser realizadas, lidar com birras, recusas para fazer o dever de casa ou desrespeito às regras e às ordens pode se tornar uma tarefa exaustiva. Os pais também lidam, principalmente durante a infância e adolescência dos filhos, com conflitos, agressões verbais e físicas aos irmãos ou aos colegas, intolerância às frustrações, dificuldade de controlar a impulsividade, entre outros problemas.


Alguns reconhecem que o estresse diário influencia as relações com os filhos e que é comum ter dificuldade para encontrar um modo diferente de agir. Diante dessa dificuldade, podem desenvolver estratégias parentais que não respondem bem a esses problemas de comportamento, tornando-se mais rígidos com seus filhos ou negligenciando alguns comportamentos mais adequados e efetivos.


O Treinamento de pais é uma forma de psicoterapia na qual a intervenção no comportamento dos filhos é feita através dos pais, promove-se a mudança de comportamento da criança de acordo com a mudança de resultado nas habilidades educacionais parentais. Tem como objetivo esclarecer pais e familiares acerca dos fatores que favorecem ou prejudicam a interação entre eles e seus filhos, além de desenvolver habilidades não coercitivas para lidar com os comportamentos em casa.
Ao longo das sessões com o Psicólogo, os pais são instruídos a identificar características do contexto familiar, da criança e de si mesmos relacionadas aos comportamentos desobedientes. Aprendem sobre a atenção que deve ser dada aos bons comportamentos e sobre como melhorar a eficiência da autoridade em casa, bem como descobrem alternativas ao uso de punições físicas ou intimidativas.
O Treinamento de pais se baseia na premissa de que algumas crianças precisam ser educadas de uma maneira diferente. Alguns modos de educar que funcionam com os irmãos podem não ter o mesmo resultado com outro filho, principalmente quando este possuiu o diagnóstico de Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH).
Crianças e adolescentes com TDAH podem ter dificuldade em completar atividades rotineiras sem a supervisão de outra pessoa; têm dificuldade em resistir à distração quando deveriam se concentrar, ou conversam muito; têm dificuldade para realizar tarefas tediosas, repetitivas ou aborrecedoras, não conseguindo demonstrar o mesmo nível de persistência, atenção e motivação. Também possuem dificuldade com o manejo do tempo e com a própria organização em relação a eventos futuros; apresentam dificuldade em se esforçar para conseguir recompensas maiores e de longo prazo, em vez de optar pelas menores, porém imediatas. Além disso, não conseguem permanecer por muito tempo realizando coisas que não lhes proporcionam benefícios, estímulos ou que possuem interesse imediato. Diante de tais dificuldades, portanto, estas crianças e adolescentes precisam de formas de educar diferentes dos seus pares, com regras mais claras e consistentes e que proporcionem recompensas mais diretas e imediatas.


Diversos estudos têm investigado a eficácia deste tipo de tratamento para crianças e adolescentes com TDAH e/ou crianças com dificuldades no relacionamento com os pais. O desenvolvimento de habilidades parentais não coercitivas modifica o comportamento do filho, que por sua vez reforça as práticas parentais aprendidas, produzindo resultados efetivos a longo prazo. Inconsistência nas regras e altos níveis de conflitos na família são associados à emergência de problemas na primeira infância e podem ser sinais da sua persistência na idade escolar, demonstrando a importância de uma intervenção precoce focada na relação familiar.