Artigo - O MITO DO SUPERPAI HERÓI
O que é ser um superpai herói?
Ser forte, ser protetor, ser astuto, ser quem ensina, ser quem educa... ser o herói.

O que torna esse pai um mito?
A sua implacável luta de ser forte, escondendo suas fraquezas e sentimentos mais detestáveis;deser astuto, não se permitindo demorar para pensar e agir; serquem ensina, tendo a lição na ponta da língua; ser quem educa, sempre firme em suas regras e moral; ser herói sem perder uma batalha.

E o que acontece com o filho do superpai herói?
Esconde... finge... adoece... cala... revolta... porque não consegue entender o que fazer com a sua tristeza, com o seu medo, com o seu fracasso, com a sua frustração, com o seu desespero... sentimentos que seu superpai herói não pode sentir... o que não quer dizer que não sinta e não precise... porque nem o pai da história real, nem o próprio herói dos filmes e das histórias em quadrinhos são isentos de sentir.

Sabe aquela parte do filme em que o herói “come o pão que o diabo amassou”com todos os seus dilemas e derrotas?

Dá vontade de correr e chegar logo na grande batalha com um final épico, não é?

É... os super-heróis dos filmes e histórias em quadrinhos, por mais poderosos que sejam, sempre mostram seu “darkside” primeiro, para depois tudo dar certo, independente do planeta que veio.

Ser pai... ser gente... ser herói... são essas coisas: tem pontos fracos, erra, sente dúvidas, passa por dilemas, sente raiva, fica estressado, se equivoca, serve de bons exemplos, mas na maioria das vezes, não percebe quando não é.

Seu filho, com certeza adoraria ter um pai herói, mas um superpai herói pode ser um fardo muito grande para ele carregar.

Se permita baixar a guarda, mostrar como você lida com os sentimentos que são desagradáveis para você. Só assim ele poderá encontrar a bravura e a coragem para ser o herói dele mesmo.

Espero tê-los ajudado a compreender um pouco mais sobre este universo infantil e suas emoções.
Foi uma pincelada, se quiser aprofundar mais neste assunto, mande um e-mail com suas dúvidas.
Também adoraria receber outras sugestões de temas.

Sou, Maria Fernanda Maia, psicóloga, atuo há mais de quinze anos com crianças, seus cuidadores e a escola.
Faço o convite para termos um olhar mais atento e carinhoso sobre esta fase e, desta forma, ajudar a criança a enfrentar seus medos, dificuldades e frustrações permitindo a ela uma percepção de si e do mundo mais saudável e feliz.
Atuo na construção de um ambiente familiar que permita uma relação de intimidade e de afeto que são base para o enfrentamento das exigências do mundo.
Especialista em Psicopedagogia, Neurociência e Análise do Comportamento.
Estudiosa das Terapias baseadas em Mindfulness e ACT - Terapia da Aceitação e Compromisso.