Artigo - POR QUE É TÃO IMPORTANTE COMEÇAR O ANO COM "GÁS TOTAL"?
O resultado do final de ano traz a tona aquelas perguntas que mexem com as cabeças dos pais.

O que aconteceu?
Por que meu filho pegou tantas recuperações?
Por que repetirá o ano?
O que fizemos de errado?

É comum buscar soluções imediatas e drásticas no final do ano para obter a aprovação, mesmo que mediano e à custa de um esforço fora do comum, dantes nunca realizados. Tudo para que na última etapa ele consiga aprender o que teve dificuldade para aprender o ano inteiro. Pode dar certo?

Duas respostas possíveis: sim e não, mas de ambas saem promessas, nem sempre cumpridas, dos pais e dos filhos de que nunca mais passarão por isso.

O hábito de estudo não se adquire de um momento para o outro. É um processo que precisa ser iniciado, construído e mantido. Não é possível estabelecê-lo em momentos turvos, como aqueles que antecipam provas e recuperações e nem no final de ano, quando as defasagens de conteúdo estão acumuladas.

No início do ano, o aluno está mais disposto e animado, acabou de voltar das férias e um tanto de novidades o aguarda. Obter notas boas nas primeiras provas faz aumentar sua autoestima, o que facilita o gosto e o desejo pelo estudo. Aliado a este motivo, pode-se também manter aquilo de que ele mais gosta, como as aulas de música, de futebol ou de inglês, sem se prejudicar em nenhuma das atividades.

A busca pelo hábito de estudo não é fácil, assim como qualquer hábito que se pretende obter. Portanto, buscar ajuda para adquiri-lo não é tão difícil quanto buscar ajuda para remediar, contornar situações que existem porque não se tentou obtê-lo antes.

Procurar um acompanhamento escolar para orientá-lo na aquisição de comportamentos saudáveis de estudo é buscar soluções em tempo hábil, com resultados construídos em longo prazo, afinal o acompanhamento escolar não só ensina a matéria, ele cumpre uma função maior de ensinar o aluno a estudar as matérias.

Ao adquirir o hábito do estudo saudável, o estudante terá, consequentemente: organização; elevação da autoestima; desejo de aprender e melhor desempenho escolar.

Logo, se o seu filho não possui um estudo adequado em casa ou se finalizou o ano com dificuldades, oriente-o para que comece desde o início do ano. Desta maneira, ele terá um ano mais produtivo, marcado por muitos sucessos.

Maria Fernanda Maia
Psicóloga e Psicopedagoga
Acompanhar Alípio de Melo| Acompanhar Pampulha