Artigo - DICAS PARA PROFESSORES DE ALUNOS COM TDAH

Há uma série de intervenções específicas que a escola e o professor podem fazer para auxiliar o aluno com TDAH a se adequar melhor à sala de aula: .


Ter atenção positiva com o aluno, fazendo elogios, tais como sorrisos, sinal com a cabeça ou tapinha nas costas.
Dar mais atenção aos comportamentos adequados, elogiando-os.
Ignorar comportamentos inadequados leves, principalmente quando perceber que é para chamar a atenção.
Dar responsabilidades que eles possam cumprir faz com que se sintam necessários e valorizados.
Manter o aluno sentado na frente, longe de distratores, e próximo ao professor.
Manter uma rotina bem organizada e previsível.
Se possível, reduzir ao mínimo os tempos de espera.
Trabalhar com grupos pequenos.
As regras devem ser claras, breves e representadas fisicamente em cartazes (acreditar na memória do aluno e em lembretes verbais geralmente não funciona).
Intercalar tarefas passivas com tarefas ativa (Mudar o ritmo ou o tipo de tarefa com frequência elimina a necessidade de ficar enfrentando a inabilidade de sustentar a atenção).
Combinar aulas com momentos breves de exercício físico ou jogos rápidos reduz o senso de fadiga e monotonia.
Dê pequenas metas de trabalho de cada vez para aumentar a motivação, divida as tarefas mais complexas em unidades menores.
Dê preferência para o ensino participativo ao invés de aulas expositivas, dê ao aluno algo o que fazer enquanto ensina.
As matérias mais difíceis devem ser priorizadas mais cedo, antes do recreio.
Recompensas e reprimendas devem ser imediatas.
As recompensas sociais não são suficientes. Utilizar privilégios especiais como auxiliar professor, tempo extra em alguma atividade, adesivos de parabenização, são mais eficientes.
As reprimendas devem ser breves, específicas, dadas rapidamente e sem emoção. É importante que fique bastante claro para o aluno o que ele fez de errado.
Após uma reprimenda, redirecione o aluno para o comportamento apropriado à tarefa.
Colegas de sala também podem ser encorajados a ajudar, ignorando o comportamento inadequado do aluno e elogiando os comportamentos adequados.
Proporcionar avaliação frequente, com sugestões concretas e que ajudem a desenvolver um comportamento mais adequado.
Praticar o perdão e entender as limitações de um aluno com TDAH.


Bárbara Romaneli Brito Conde
Psicóloga na área da Neuropsicologia
Acompanhar Jaraguá | Acompanhar Pampulha

Josele de Freitas Paula
Psicóloga especialista em Clínica Comportamental

Referência Bibliográfica:
- BARKLEY, R., Murphy K.Transtorno de deficit de atenção/hiperatividade: exercícios clíncos. 3.ed. Porto Alegre: Artmed,2008.
- DUPAUL, G., Stoner, G. TDAH nas escolas. São Paulo: M. Books do Barsil, 2007